• Mari Bruno

Nice: 3 dias com arquitetura, praia, gastronomia, arte e design

Atualizado: 22 de out. de 2021

A cidade é uma das principais da Côte D’Azur e um dos destinos mais completos que já conhecemos (mesmo com chuva!)



Gastronomia, design, praia, arquitetura medieval, montanha, arte: é possível encontrar um pouco de tudo em Nice, uma das principais cidades da Riviera Francesa. Quem fizer uma road trip pela região pode se hospedar ali e fazer pequenas viagens pelos arredores, mas não pode deixar de reservar alguns dias para conhecer tudo o que Nice oferece.


Primeiramente, vale dizer que passamos quatro dias na cidade - em dois dos quais fomos presenteados com chuvas intensas. Dizemos isto porque não é qualquer destino que pode ser aproveitado mesmo com tempo desfavorável e, apesar de tudo, ficamos encantados com a visita.


Mas vamos ao começo: Nice é muito rica historicamente. Como pertenceu à Itália até os anos 1800, o centro histórico é dividido em duas partes: o italiano e o francês. Como você pode imaginar, esta é a parte mais charmosa da cidade e é onde passamos a maior parte do nosso tempo. Além do centro histórico, a Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses) nos conquistou e passamos por ali em diversos horários.


Para você aproveitar Nice ao máximo, montamos um roteiro de três dias (dois se tiver muita pressa) - incluindo um passeio pelas lojas de design. Confira:


NICE: DIA UM



1. Promenade des Anglais

O famoso calçadão de Nice é uma delícia e pode ser explorado a pé ou com bicicletas alugadas. No primeiro dia, tome a direção esquerda da Promenade para chegar no Hotel Negresco e no Villa Masséna Musée.


2. Hotel Le Negresco

Um dos ícones da cidade, o Hotel Le Negresco foi inaugurado em 1913 e já recebeu personalidades como Salvador Dali, Grace de Mônaco, os Beatles, Louis Armstrong e Elton John. Com arquitetura marcante, o espaço também conta com o restaurante Le Chantecler, a cervejaria La Rotonde e o bar do Negresco.


3. Villa Masséna Musée

A máscara mortal de Napoleão e o diadema de Joséphine em madrepérola são alguns dos itens expostos no Villa Masséna Musée, que ocupa um casarão de neoclássico e influência italiana construído entre 1898 e 1901. Ao lado do Le Negresco, o museu foi inaugurado ali em 1921 e compreende - por meio de artes gráficas, móveis e objetos - o período entre a época em que Nice foi anexada à França até o final da Belle Époque.


4. Jardin Albert 1er

No caminho de volta ao centro antigo, o Jardin Albert 1er conecta a Promenade des Anglais à Place Masséna, uma das principais praças da cidade. O jardim é um dos mais antigos de Nice e possui várias espécies de coqueiros e rosas. Ali também está o L’Arc de Venet - 115°5 , um arco de metal de 19 metros de altura criado pelo artista Bernar Venet em 1988.


5. Place Masséna

A Place Masséna é uma das “portas” para o centro antigo e é um dos lugares que melhor resume a diversidade de Nice, já que fica situada próximo à Promenade des Anglais, à Galeries Lafayette, ao tramway (linha de trens que percorre a cidade), ao Jardin Albert 1er e à Promenade du Paillon. Além do piso quadriculado e dos prédios, um dos destaques é a Fontaine du Soleil, construída em 1840. Sete estátuas do artista espanhol Jaume Plensa enfeitam a Place.


6. Colline du Château


Este é um dos lugares mais especiais da cidade e não pode ficar de fora do seu roteiro. Vá com tempo, porque o parque da colina é grande e merece ser aproveitado com calma. Pode subir de duas formas: um elevador de estilo Art-Deco ou escadas (usamos o primeiro para subir e o segundo para descer - recomendamos!). Lá em cima, você vai encontrar muito verde, uma cachoeira e uma vista maravilhosa da Baie des Anges, do centro antigo, e do porto. Para nós, o ideal é chegar no fim da tarde, para pegar o céu azul e o pôr do sol.




NICE: DIA DOIS



1. Vieille Ville

Chegou a hora de se aventurar pelo centro antigo de Nice. Não temos um roteiro específico para a Vielle Ville - vá caminhando e descobrindo as vielas que parecem não ter mudado desde a era medieval. Não deixe de passar pela Cathédrale Sainte-Réparate de Nice, que homenageia a patrona da cidade - Santa Reparata - e foi construída no século XVII (havia uma catedral ali desde o século XI). Passe também pela rua Saleya, uma das principais, para conhecer o Marché du cours Saleya, mercado local com flores, produtos artesanais e comidas típicas.


2. Promenade du Paillon

Suba até a Place Masséna e caminhe pela Promenade du Paillon, um parque de 12 hectares que começa na praça e vai até o MAMAC (Modern Art and Contemporary Art). Se você tiver sorte, vai pegar algum dos vários eventos que acontecem ali, como o Festival des Jardins de la Cote d'Azur.


3. MAMAC (Modern and Contemporary Art Museum)

Quase 1.300 obras de mais de 300 artistas compõem a coleção permanente do MAMAC, que tem foco no período do fim dos anos 1950 até os dias atuais, passando por movimentos como o Novo Realismo Europeu e a Pop Art. Yves Klein e Niki de Saint Phalle constituem o coração das obras e dividem o espaço com nomes como Andy Warhol, Ben, Christo, Jacques Martinez, Bernar Venet e Vivien Isnard. Não deixe de subir até a cobertura do museu, que tem uma vista linda.


4. Quartier du Port: design, arte e décor

Vizinho do MAMC, o Quartier du Port é o bairro do porto e o distrito de design, arte e décor de Nice. As ruas estão repletas de lojas, cafés, restaurantes e livrarias e, abaixo, selecionamos algumas que valem a visita:

  • Badaboom - restaurante vegano e espaço engajado

  • BOHO Concept Store - plantas e flores

  • Bottega.28 - loja de decoração

  • Joya Lifestore - coworking, loja e café

  • Les Ateliers Illustrés - curadoria de livros infantis

  • Les Indociles - livraria e café

  • Q’Otidien - mercearia e restaurante com produção própria de vinhos




NICE: DIA TRÊS



1. Libération

Saindo um pouco da zona principal da cidade, pegue um tram até Libération para conhecer o Marché de la Libération (um tipo de mercado municipal fechado e ao ar livre) e a Bibliotheque Raoul Mille - ambos ficam na Place du Général de Gaulle.


2. Musée Marc Chagall

O artista russo Marc Chagall tinha uma relação especial com a França - tanto que doou, em 1969, sua Biblical Message para o país. Inaugurado em 1973, o museu foi criado para abrigar essas obras e contou com a participação do próprio artista, que criou os vitrais do auditório, um mosaico, e decidiu quais obras seriam expostas e de que forma.


3. Cimiez

Infelizmente, devido ao tempo chuvoso, não conseguimos conhecer Cimiez, o que foi uma pena. Mas, recomendamos que você vá mesmo assim. O bairro conta com as Arènes de Cimiez, que são as ruínas de Cemenelum, uma capital da antiga província romana. O Monastère de Cimiez também se encontra por lá, assim como o Musée Matisse, dedicado à obra do artista francês Henri Matisse, que morreu em Nice em 1954.



Lugares que não fomos, mas ficamos com vontade:

  • Arènes de Cimiez

  • Monastère de Cimiez

  • Musée de la Photographie Charles Nègre

  • Musée des Beaux-Arts de Nice

  • Musée du Palais Lascaris

  • Musée Matisse

  • Villa Masséna Musée


Ficou com tempo sobrando? Então aproveite para conhecer lugares próximos a Nice, acessíveis de trem ou ônibus, que rendem um excelente passeio bate-volta. Destacamos Villefranche-sur-Mer, Antibes, Cannes, e até mesmo um outro país, já que Mônaco é pertinho de lá.



fotos: Mariana Bruno


matéria originalmente publicada no Follow The Colours